Por: Marcella Pontes Migliaccio da Silva – 9o.ano

            A Metamorfose foi escrita por Franz Kafka, autor nascido em Praga, em 1883, e essa novela é uma das mais famosas feitas por ele. Depois de escrever muitas histórias, pediu para que seu amigo as queimasse após a morte, porém seu desejo não foi atendido. O livro vendeu diversas cópias ao redor do planeta, pois provoca muitas reflexões no leitor.

            A história retrata a vida de Gregor Samsa, um homem trabalhador, que sustentava seus pais e sua irmã. Viviam uma vida monótona, até que certo dia Gregor acorda completamente transformado. Com sua nova aparência, ele não podia mais sair de casa ou trabalhar, situação que, aos olhos de sua família, o tornava inútil. A partir desse momento, ele é completamente abandonado por sua família, com exceção de sua irmã. É possível analisar que a relação dos familiares, em questão, era baseada simplesmente em dinheiro.

            A relação de Gregor com seu pai não era nada perfeita, porque ele não trabalhava e vivia do suor do filho. Conhecendo melhor o autor, é facilmente notado que Kafka colocou parte de sua vida na história, visto que ele também não era muito próximo de seu pai. Outro ponto importante da obra é o machismo, percebido principalmente na forma como o pai vê a sua esposa e sua filha. Para ele, as duas servem simplesmente para fazer suas vontades. Nada mais.

            Muitas outras reflexões podem ser feitas ao realizar a leitura do livro, mas é importante destacar que é preciso se aprofundar na mensagem que a obra quer passar e não a ler de maneira superficial. Apesar de ser uma leitura desafiadora, A Metamorfose é necessária para melhor compreensão dos aspectos afetivos, psicológicos e sociais, presentes, hoje, em nossa sociedade.