Por: Kaue Antonio Maranzano de Araújo – 9o.ano

Várias Histórias é uma obra de Machado de Assis, em que foram reunidos alguns de seus contos, como “Um Apólogo” que, apesar de ser uma narrativa curta, consegue delimitar muito bem o tempo, espeço e personagens e ainda analisa sentimentos humanos, como inveja e uma carência de importância.

Devido a um ateliê de Literatura, eu li esse livro da Martin Claret editora e, embora seja relativamente antigo, ele retrata aspectos da atualidade, o que faz com que ele seja atemporal, porém eu não o considero um livro interessante de ler por conta de sua complexidade, tanto na forma de escrita, quanto nas ideias.

O conto “O Cônego ou Metafísica do Estilo” relata, por exemplo, a dificuldade de um cônego em escrever. Nessa história, Machado utiliza de metalinguística, já que ele discute a língua e a dificuldade de escrever. Esse é um conto atemporal, pois sempre existiria essa dificuldade, mas muito complexo pela forma como é escrito.

Também devido ao ateliê, foi possível comparar a literatura do Machado e do Francisco Borja da Costa, um escritor muito importante da literatura do Timor-Leste, e perceber que mesmo os dois usando a mesma língua são modos de escrita bem diferentes.

Recomendo esse livro a pessoas que gostam de uma literatura mais complexa e culta, o que é difícil de acontecer entre os jovens, por isso o considero uma literatura mais adulta.