Por: Ana Clara Santana de Mello – 8o.ano

Frankenstein é um livro dos gêneros de terror e ficção científica. Publicado em 1818, foi escrito por Mary Shelley, que o escreveu aos 19 anos e o publicou quando tinha 21. Esta resenha crítica é sobre uma adaptação da história feita por Ruy Castro.

Os principais temas abordados no livro são abandono, solidão, preconceito e ambição. Acredito que Mary Shelley escolheu abordá-los para incluir e explorar a triste realidade em que a sociedade vive.

Frankenstein é uma história que se passa na Suíça, onde o cientista Victor Frankenstein estava estudando para tornar matéria inanimada em viva e, por consequência, esqueceu de sua família. Na minha opinião, esse conceito de dar vida a algo que já se foi, é completamente antiético, pois é uma situação que não faz parte do ciclo natural da vida.

Ele continuou sua pesquisa e atingiu seu objetivo, mas, criou uma criatura tão horrenda e medonha, a qual ficou sozinha e levou caos para toda parte. Sinceramente, como o cientista esperava que seria o resultado, uma vez que ele não foi cuidadoso e racional? Essa ação é simplesmente deplorável.

Por fim, para mim, o livro trouxe questões relevantes e interessantes, os quais são extremamente antiéticos. Recomendo essa leitura para uma faixa etária juvenil, já que o livro, apesar de simples, traz muitas reflexões.